Tudo sobre hepatite medicamentosa: o que é, sintomas e tratamento

por | 26 ago, 2021

4 min. de leitura

Tomar remédios sem prescrição médica é um hábito bastante comum entre os brasileiros, mas que pode trazer sérios problemas à saúde. Um deles é a hepatite medicamentosa, uma lesão que ocorre no fígado e pode levar à necessidade de transplante do órgão.

Quer entender melhor como ocorre a doença e a quais sintomas você deve ficar alerta? A Panvel explica tudo o que você precisa saber sobre o assunto neste post.

O que é hepatite medicamentosa?

Hepatite medicamentosa é uma inflamação das células do fígado em forma aguda ou crônica, causada pelo uso indiscriminado ou prolongado de drogas lícitas e ou ilícitas, suplementos alimentares e fitoterápicos.

O desenvolvimento da doença se dá pelo uso em excesso de alguns medicamentos ou pela sua toxicidade, o que faz com que a medicação atinja diretamente o fígado. Além disso, o problema pode ocorrer devido à hipersensibilidade do paciente a determinado medicamento.

Não existe uma dose limite para o desenvolvimento da hepatite medicamentosa. Em alguns casos, ela se desenvolve horas ou dias após a exposição ao agente agressor, em outros, pode levar meses de uso regular até que os primeiros sintomas surjam.

Os principais causadores da hepatite medicamentosa são os antibióticos, anti-inflamatórios, anticonvulsionantes e esteróides anabolizantes.

Alguns medicamentos, como a Nimesulida, por exemplo, têm maior capacidade de causar irritações no fígado, o que pode resultar em hepatite aguda ou fulminante.

Sintomas da hepatite medicamentosa

A hepatite medicamentosa pode começar de forma assintomática, sem que a pessoa perceba. Nesses casos, muitas vezes, os sintomas só surgem quando a lesão progride e chega na forma avançada.

Entre as principais queixas estão:

  • Febre baixa;
  • Cor amarelada na pele e na parte branca dos olhos;
  • Dor abdominal no lado direito;
  • Coceiras pelo corpo;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Mal-estar e fraqueza;
  • Inchaço no corpo;
  • Problemas de coagulação;
  • Urina escura;
  • Fezes de cor clara;
  • Confusão mental (em casos graves).

É importante que os sintomas sejam identificados o quanto antes, para que o tratamento comece ainda nas fases iniciais da doença.

Como tratar a hepatite medicamentosa?

O tratamento para hepatite medicamentosa consiste na suspensão imediata do medicamento ou substância que causou a doença.

Quando essa medida não é suficiente, o médico costuma prescrever o uso de corticoides por um período aproximado de dois meses, até a normalização dos exames de fígado.

Nos casos em que a hepatite evoluiu para falência hepática, é necessário o encaminhamento do paciente para um transplante de órgão.

Pacientes com hepatite medicamentosa devem ter acompanhamento médico durante todo o tratamento e realizar novos exames após um a três anos, para avaliar a evolução da saúde do fígado.

Hepatite medicamentosa e automedicação

É importante entender que a hepatite medicamentosa não vai ocorrer em todos os pacientes que tomarem determinado medicamento.

Existem casos em que a pessoa tem maior sensibilidade a certo componente ou uma predisposição genética que a torna mais suscetível a lesões no fígado.

Em outros casos, a doença se desenvolveu porque o medicamento foi utilizado em grandes doses, causando toxicidade ao órgão.

Esses problemas costumam ocorrer, principalmente, quando a medicação é feita sem acompanhamento médico ou conhecimento das substâncias envolvidas.

Na bula dos medicamentos, é fácil encontrar a informação de que pessoas que têm hipersensibilidade a tal componente não devem tomá-lo.

Contudo, nem sempre o paciente tem consciência sobre essa sensibilidade, que pode estar relacionada a incapacidade do fígado e metabolizar as substâncias.

Outro ponto que precisa ser destacado é que, mesmo os medicamentos considerados de baixo risco, que não exigem prescrição médica, como é o caso dos analgésicos, podem danificar o fígado, principalmente quando usados com frequência e combinados com álcool.

Assim, quando a medicação ocorre sem nenhum acompanhamento e de forma indiscriminada, ultrapassando o período necessário, o paciente pode acabar sofrendo com  a toxicidade das substâncias, que podem levar à hepatite medicamentosa.

Como vimos, a hepatite medicamentosa é uma inflamação aguda que afeta o fígado e pode levar, inclusive, à perda do órgão.

Por conta disso, é importante que os pacientes tenham cautela ao utilizar medicamentos e que sempre procurem um médico antes de iniciar qualquer tratamento.

Caso note alguns dos sintomas da doença, é preciso buscar atendimento médico o quanto antes, para evitar que o problema se agrave ainda mais.

Agora que você já sabe o que é hepatite medicamentosa, descubra também o que é trombose e como prevenir o problema.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest