Saiba como os óleos essenciais podem proporcionar bem-estar

por | 6 out, 2021

6 min. de leitura

Você sabia que as plantas contam com diversas propriedades medicinais e que é possível desfrutar de seus benefícios utilizando os óleos essenciais?

Com poucas gotas e um bom difusor, você pode promover um momento de autocuidado e ainda melhorar problemas como insônia e estresse.

Neste post, explicamos para você tudo o que é preciso saber sobre óleos essenciais e aromaterapia e como utilizar esses recursos para garantir mais qualidade de vida.

Boa leitura!

O que são óleos essenciais?

Os óleos essenciais são compostos aromáticos voláteis, encontrados em sementes, cascas, caules, raízes, flores e outras partes das plantas.

Eles são os responsáveis por dar às ervas seus aromas diferenciados, além de desempenharem um papel importante na polinização.

São substâncias químicas concentradas, complexas e 100% naturais, e contam com propriedades que permitem que eles circulem rapidamente pelo ar, proporcionando benefícios para a saúde física e mental, por meio da aromaterapia.

Existem mais de 3 mil variedades de óleos essenciais identificados até agora, e sua natureza e benefícios variam de acordo com a planta e a família botânica. Por conta disso, cada óleo essencial é considerado um artigo precioso e único.

Além de variar conforme a espécie, os óleos essenciais também podem apresentar diferentes características de acordo como a hora, a estação, a localidade, o método e a duração da destilação, o ano de cultivo e o clima.

O que é aromaterapia?

Aromaterapia é o nome dado a uma medicina natural e alternativa que utiliza o olfato e as propriedades medicinais dos óleos essenciais no tratamento curativo. A técnica é milenar e foi bastante utilizada em antigas civilizações, como Egito, China, Roma e Grécia.

Nos dias de hoje, a terapia com óleos essenciais é utilizada, inclusive, como terapia complementar dentro de hospitais, para proporcionar mais bem-estar aos enfermos.

A técnica funciona da seguinte forma: ao inalar os aromas, os canais olfativos mandam a mensagem diretamente para o sistema límbico, a parte do sistema nervoso que é responsável pelas emoções.

Dessa forma, ocorre um estímulo ativo nas áreas do cérebro, ocasionando também reações fisiológicas.

É importante destacar que, para que a aromaterapia tenha o efeito desejado, é necessário utilizar apenas óleos essenciais 100% puros, que contam com efeitos terapêuticos já estudados e comprovados pela ciência.

Além disso, vale ficar de olho nas contraindicações de alguns óleos específicos, que não são indicados para gestantes e hipertensos.

Para que servem os óleos essenciais?

Na prática, a aromaterapia serve para ajudar a lidar com distúrbios, como insônia e ansiedade, amenizar dores e induzir sensações relaxantes ou estimulantes.

Existem diversas formas de aplicação dos óleos essenciais, como pulverização, inalação, aplicação de compressas, banhos aromáticos e massagens. A técnica mais utilizada e difundida, no entanto, é a difusão aérea, proporcionada por um difusor aromático.

A difusão é também a forma mais segura e simples de utilizar a aromaterapia. Isso porque, na maioria das vezes, os óleos essenciais não podem ser aplicados puros na pele e precisam ser diluídos em um veículo, como um óleo vegetal ou um creme neutro, para evitar irritações e reações.

Benefícios dos óleos essenciais

Com o auxílio da aromaterapia, os óleos essenciais podem trazer diversos benefícios para corpo e mente. Como vimos, os efeitos podem variar de acordo com a planta e o aroma escolhido.

É comum associar os óleos essenciais apenas a tratamentos emocionais, como no tratamento de insônia, ansiedade, depressão e hiperatividade, contudo, muitos óleos essenciais também contam com propriedades bactericidas, antifúngicas, expectorantes e antivirais, trazendo outros efeitos fisiológicos.

A seguir, listamos alguns dos óleos essenciais mais conhecidos e suas indicações:

  • Alecrim: cansaço mental, falta de memória, dificuldade de concentração, dor de cabeça e dores musculares e articulares;
  • Bergamota: estresse, depressão, ansiedade e má digestão;
  • Canela: cansaço físico e mental, tonturas, irritabilidade, cólicas menstruais e dor de cabeça;
  • Eucalipto: problemas respiratórios, dor de cabeça, enxaqueca, tensão e dores musculares;
  • Lavanda: estresse, dor de cabeça, resfriados, insônia, ansiedade e problemas respiratórios;
  • Limão: falta de concentração, ansiedade, estresse, falta de energia, sistema imune enfraquecido, má digestão;
  • Sândalo: falta de libido, dor no peito, estresse e tensão muscular;
  • Yang-yang: ansiedade, náuseas, pressão alta, problemas intestinais e dores de cabeça.

Vale lembrar que os óleos essenciais são uma terapia alternativa, que deve ser utilizada como um complemento da alopatia no autocuidado.

Isso significa que os medicamentos receitados pelos profissionais de saúde nunca devem ser substituídos pela aromaterapia sem indicação médica.

É possível, no entanto, associar as duas técnicas para garantir mais qualidade de vida.

Difusor de óleo essencial

Existem diversos tipos de difusores que podem ser utilizados com óleos essenciais.

Os mais simples são os de cerâmica a vela, que utilizam o calor da vela para evaporar o óleo. Esse tipo de difusor não é muito indicado, uma vez que pode superaquecer os óleos, fazendo com que eles evaporem rápido demais e percam suas propriedades.

Outro modelo muito popular é o difusor elétrico de tomada, que gera uma fonte de calor mais constante e adequada aos óleos essenciais.

Por fim, é possível encontrar os difusores elétricos a vapor, que não só aromatizam o ambiente, mas também melhoram a qualidade e a umidade do ar.

A maioria desses modelos contam com tecnologia de difusão ultrassônica, que adiciona íons negativos ao ar e ajudam a eliminar bactérias, vírus, poluentes e microrganismos.

Além disso, os difusores a vapor também têm uma tecnologia de difusão a frio, que não altera a fórmula dos óleos essenciais, preservando suas propriedades terapêuticas. Para utilizá-los, basta adicionar água e algumas gotas de óleo essencial, de acordo com o que é recomendado pelo fabricante.

Conclusão

A aromaterapia é uma medicina alternativa que utiliza o poder dos óleos essenciais para garantir mais saúde e bem-estar.

Utilizar um bom difusor de ambientes com seu óleo essencial favorito pode ser um importante momento de autocuidado no seu dia, proporcionando mais relaxamento e garantindo uma noite de sono tranquila.

Agora que você já conhece o poder dos óleos essenciais, entenda o que é o cortisol e como controlar os níveis do hormônio do estresse.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest