Osteoporose: uma doença silenciosa que merece atenção

por | 21 jul, 2021

6 min. de leitura

A osteoporose é uma doença caracterizada pela perda progressiva de massa óssea, sendo mais comum em mulheres acima dos 50 anos de idade. Considerada silenciosa, a patologia causa o enfraquecimento dos ossos, deixando-os mais suscetíveis a fraturas após esforços ou quedas mínimas.

A Fundação Internacional da Osteoporose (IOF, na sigla em inglês) aponta que a osteoporose é a causa de mais de 8,9 milhões de fraturas por ano em todo o mundo, resultando na ocorrência de uma fratura osteoporótica a cada três segundos.

A médica do Serviço de Reumatologia do Hospital Moinhos de Vento Alessandra Ferreira esclarece que a osteoporose é causada por meio de uma combinação de deficiência de nutrientes essenciais e fatores que afetam a função das células ósseas, sejam eles hormonais, medicamentosos ou outros.

Entre os locais do corpo mais acometidos pela patologia, estão as vértebras da coluna, a bacia, o punho e o braço. “Frequentemente o primeiro indicativo de osteoporose é uma fratura de punho que ocorreu após uma queda da própria altura. A maior preocupação é com fratura de fêmur ou bacia, uma fratura potencialmente grave”, alerta Alessandra.

Fatores de risco

Apesar de ser uma condição associada ao envelhecimento em decorrência da perda da massa óssea nessa fase da vida, são inúmeros os fatores de risco que podem influenciar na ocorrência da osteoporose. A médica do Hospital Moinhos de Vento explica que entre as mulheres a menopausa aumenta o risco de desenvolver osteoporose, uma vez que “com a interrupção da menstruação, ocorre diminuição dos níveis de estrógeno, que é fundamental para manter a massa óssea”.

A IOF estima que a osteoporose afeta 200 milhões de mulheres em todo o mundo, sendo aproximadamente um décimo das mulheres com 60 anos, um quinto das mulheres com 70, dois quintos das mulheres com 80 e dois terços das mulheres com 90 anos.

A reumatologista ainda destaca que a hereditariedade é um fator que aumenta as chances de um indivíduo desenvolver o problema. Além destas condições que tornam as pessoas mais suscetíveis à osteoporose, Alessandra aponta outras quatro causas:

  • Dieta pobre em cálcio: o cálcio é fundamental na formação óssea, sendo sua obtenção a partir da alimentação imprescindível para prevenir a osteoporose.
  • Excesso de fumo e álcool: há maior incidência de osteoporose entre as pessoas que consomem álcool e fumo em excesso.
  • Imobilização prolongada: o exercício físico constitui um importante estímulo para a formação e o fortalecimento dos ossos. Grandes períodos de imobilização e a falta de exercícios podem levar à osteoporose.
  • Medicamentos: alguns medicamentos, como os corticoides, em tratamentos de longa duração, favorecem a redução da massa.

O clima frio e a osteoporose

Os períodos de clima frio podem afetar ainda mais quem já tem osteoporose e aumentar os riscos para desenvolvimento da doença, uma vez que a exposição solar, de ao menos 15 minutos por dia, é essencial para a absorção da vitamina D. “Populações que vivem em clima frio apresentam menor exposição solar nos meses de inverno, podendo gerar carências nutricionais que aumentam o risco de osteoporose”, reitera Alessandra.

Sintomas e diagnóstico

A osteoporose é uma doença silenciosa, lenta e progressiva, que geralmente é identificada quando ocorre uma fratura em algum osso após uma queda leve. De acordo com a reumatologista, nesses casos é um sinal de que a osteoporose já está instalada. “Por esse motivo, é importante o rastreamento da doença”, acentua.

Ao menor sinal de suspeita de fratura osteoporótica, é fundamental procurar por atendimento médico. São inúmeros os profissionais que podem auxiliar no diagnóstico e tratamento da doença. No entanto, existem especialidades médicas como a reumatologia, endocrinologia e ginecologia que se especializam mais no tratamento e investigação de osteoporose.  “A osteoporose deve ser uma preocupação importante de todas as áreas médicas”, aponta Alessandra.

Através da análise dos sintomas do paciente, o médico poderá solicitar a realização de exames específicos como o raio-X, para avaliar se há fratura, e densitometria óssea, método que avalia a perda de massa óssea.

Tratamento

O tratamento para a osteoporose deve ser sempre indicado por um médico. Geralmente, são prescritos o uso de suplementação com cálcio e vitamina D. “A suplementação inadequada pode gerar intoxicação e riscos à saúde. Existem diversas alternativas medicamentosas para o tratamento, devendo ser discutido entre médico e paciente qual o medicamento mais adequado para cada caso”, adverte a médica do Hospital Moinhos de Vento.

Prevenção

Para prevenir a osteoporose e manter a qualidade de vida, é fundamental cultivar hábitos de vida saudáveis, como uma dieta equilibrada e prática de atividade física. De acordo com a reumatologista, a recomendação padrão para ingestão de cálcio para adulto é de 1.200mg por dia, e em mulheres pós-menopausa é de 1.500mg por dia.

“Essa quantidade pode ser sim ingerida na alimentação. Atentar para a quantidade de cálcio dos alimentos e lembrar que não apenas leite e seus derivados são ricos em cálcio. Alimentos como gergelim, amêndoas e brócolis também são riquíssimos em tal nutriente”. E completa: “Os veganos também precisam estar atentos em sua dieta, pois há como planejar uma alimentação rica em cálcio e livre de leite. Caso você não consiga suprir as necessidades diárias apenas com a alimentação, o seu médico pode indicar a suplementação adequada para seu caso”.

Ela ainda enfatiza que os exercícios físicos são essenciais para o fortalecimento da musculatura. “Todo paciente com osteoporose deve realizar exercícios físicos. Atividades para reforço muscular, equilíbrio, coordenação motora são fundamentais para a melhora da saúde óssea e prevenção de quedas. A orientação de qual atividade física se pode realizar deve ser feita pelo médico. Indivíduos com osteoporose grave e fraturas terão mais restrições, porém ainda sim a atividade física será essencial, apenas será adequada à possibilidade do paciente”.

Além do mais, não fumar, evitar consumo excessivo de bebidas alcoólicas, bem como a cafeína e dietas ricas em sódio também são medidas que contribuem para evitar o desenvolvimento da doença. Os pacientes acometidos pela osteoporose devem estar atentos ao risco de queda. A reumatologista diz que é essencial proteger o ambiente doméstico para prevenir quedas em casa, além de manter uma boa iluminação e ter cuidado com os tipos de sapatos utilizados.

Agora que você sabe mais sobre a osteoporose, que tal informar mais pessoas? Compartilhe esse conteúdo com amigos e familiares.


Fonte: Infohealth

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest