Blog Bem Panvel

Dezembro Laranja chama atenção para o câncer de pele

Por 
 | 
08/12/2021
4 min. de leitura

O câncer de pele é o primeiro em termos de incidência e frequência na população, sendo responsável por cerca de 30% dos tumores malignos registrados no Brasil de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA). Por isso, a conscientização sobre o tema é tão importante e iniciativas como o Dezembro Laranja foram criadas para incentivar a disseminação de informações e o esclarecimento de dúvidas sobre a doença.

Fatores de risco e principais sinais

Os tipos mais comuns de câncer de pele são os carcinomas. O melanoma é o menos frequente e o mais agressivo. Pessoas com pele e olhos claros, com histórico familiar da doença e exposição prolongada ao sol, principalmente na infância e na adolescência, apresentam maior risco de desenvolvê-lo.

No entanto, mesmo para quem não está incluído nesses grupos, o rastreamento regular é indicado e importante. Faça uma avaliação dermatológica anual ou mais frequente conforme orientado por seu dermatologista e não esqueça de realizar o autoexame. Olhe para o seu corpo com frequência, inclusive para área cobertas, como entre os dedos e na sola do pé, dorso, glúteos e virilha.

Preste atenção aos seguintes sinais e busque atendimento imediato em caso de identificação:

  • Feridas que não cicatrizam, que duram, no mínimo um mês;
  • Verrugas que estão crescendo e doendo;
  • Pintas com as seguintes características: assimetria, bordas irregulares, cor variável, diâmetro (maior do que 6 milímetros) e evolução (mudança em cor, tamanho, espessura, bordas de pintas antigas).

Tratamento e prevenção

O câncer de pele tem alta taxa de cura, mas o diagnóstico precoce é essencial para alcançar esse resultado. Quanto antes ele for descoberto, menor a cicatriz deixada pela cirurgia, menos invasivos os procedimentos e menos agressivo o tratamento, que pode incluir desde o uso de cremes até o uso de quimioterapia e imunoterapia.

“O tratamento principal é a cirurgia, a remoção da lesão. O tratamento oncológico, que vai envolver quimioterapia e imunoterapia, só é feito em casos que a doença está mais avançada. Mesmo assim, em alguns tumores, nós já temos resultados surpreendentes, que não conseguíamos anteriormente”, segundo o coordenador médico do Centro Integrado de Oncologia do Hospital Mãe de Deus (CIO), Dr. Alan Azambuja.

A prevenção é sempre a melhor estratégia. Por isso, fique atento às principais dicas para evitar o câncer de pele:

  • Evitar a exposição solar entre 10h e 16h;
  • Aplicar protetores solares diariamente, a partir dos seis meses de idade, mesmo em dias nublados;
  • O protetor deve ter um Fator de Proteção Solar igual ou superior a 30 e deve proteger contra a radiação UVA;
  • Use protetores labiais, os lábios devem ser protegidos com protetores solares específicos para esta região;
  • Mesmo protetores que são resistentes à água devem ser reaplicados a cada mergulho ou transpiração intensa;
  • Usar, além do protetor solar, chapéus de abas largas, bonés, óculos com proteção UV, roupas, sombrinhas e preferir sombras à exposição direta ao sol.

Clínica Integrada de Oncodermatologia

Para oferecer um atendimento especializado nessa área, o Hospital Mãe de Deus conta com a Clínica Integrada de Oncodermatologia. Ela disponibiliza uma assistência ágil e especializada, permitindo que o paciente saia com o diagnóstico e o tratamento todo planejado em apenas um turno.

“Na consulta, você será examinado por um dermatologista e por um cirurgião oncológico. Eles irão analisar toda a sua pele e as condutas serão decididas em conjunto . Caso seja observada alguma lesão suspeita, você já sai com o procedimento marcado, o que agiliza o diagnóstico e o tratamento, explica a Dermatologista do Corpo Clínico do HMD, Dra. Sabrina de Stefani.

Além disso, o Centro Integrado de Oncologia conta com o Tumor Board da Oncologia Cutânea, onde, semanalmente, cada caso é discutido por toda a equipe, em uma reunião multidisciplinar. “Oferecemos um olhar individual para cada caso. Isso traz mais segurança para o paciente, que receberá a melhor alternativa para seu caso, sendo avaliado por diversos profissionais”, ressalta a cirurgiã do Corpo Clínico do HMD Dra. Carla Bochi.

Fontes: Dra. Carla Bochi, Médica Cirurgiã do Corpo Clínico do Hospital Mãe de Deus, e Dr. Alan Azambuja, Coordenador Médico do Centro Integrado de Oncologia do Hospital Mãe de Deus (CIO).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

menu

Pin It on Pinterest