Contágio, reinfecção, remédios caseiros: desvende mitos sobre a Covid-19

por | 3 fev, 2021

7 min. de leitura

A quantidade de notícias sobre a Covid-19 é grande – e elas podem ser desencontradas ou até mesmo falsas, como é o caso de muitas informações publicadas na internet. À medida que resultados de novos estudos são divulgados, algumas certezas sobre o vírus podem ser derrubadas – sem falar das fake news, bastante enviadas pelo WhatsApp. Levar a sério esse tipo de informação pode nos fazer baixar a guarda com a proteção, deixando-nos mais suscetíveis ao vírus. Por isso a importância de continuar tomando as medidas preventivas – e sempre buscar informações em veículos de credibilidade.

Afinal, quem já positivou para coronavírus está livre de ter a doença de novo? Pessoas assintomáticas não transmitem o vírus? Jovens não desenvolvem a forma grave da doença? Convidamos o chefe do Serviço de Infectologia do Hospital São Lucas da PUCRS, Fabiano Ramos, para responder a essa e outras dúvidas comuns sobre a doença. Vamos esclarecer? Confira a verdade sobre nove mitos envolvendo a Covid-19:

O clima e o vírus: o coronavírus só se “prolifera” em certas temperaturas?

No início da pandemia, chegou-se a pensar que, assim como o vírus da gripe, o coronavírus encontraria em temperaturas baixas o ambiente mais propício à sua circulação. A informação é falsa, como explica o infectologista Ramos:  “O vírus não tem dificuldade de circulação nem no inverno nem no verão. Ele não tem respeitado o padrão que observamos no vírus influenza, por exemplo”. Mais um motivo para manter os cuidados neste verão.

Contágio: apenas pessoas sintomáticas podem transmitir o vírus?

É possível que você já tenha lido ou escutado de algum amigo ou familiar que apenas as pessoas que apresentam sintomas são capazes de transmitir a Covid-19. Atenção: a informação é falsa. Pacientes assintomáticos também passam o vírus adiante, ainda que essa transmissão seja menor. Pessoas que apresentam poucos sintomas também tendem a não tomar tantos cuidados, o que as leva a transmitir o vírus sem saber. “Muitas vezes, os pouco sintomáticos acabam transmitindo o vírus para várias pessoas sem se dar conta. Vemos muito isso no dia a dia. Só depois, olhando para trás, os pacientes identificam que começaram um sintoma diferente do habitual”, afirma Ramos. Por isso, ao ter contato com alguém que teve o vírus, redobre os cuidados e evite o contato com outras pessoas sem os cuidados recomendados.

Idade: o vírus não causa morte em pessoas jovens

Também há quem acredite que, pela idade, está protegido de desenvolver formas graves da doença, caso seja contagiado pelo coronavírus. O médico esclarece que a idade é apenas um dos fatores de risco. Pessoas jovens também podem adquirir o vírus e desenvolver formas severas da doença. “É mais comum um quadro grave em pessoas jovens que têm alguma doença crônica ou alguma doença que é fator de risco para a Covid-19, como a obesidade”, explica o infectologista.

O coronavírus não infecta crianças

Descuidar das medidas de proteção com as crianças por acreditar que elas estão imunes ao vírus é um equívoco dos pais. As crianças também podem ser infectadas pela Covid-19. “Elas desenvolvem menos sintomas e, felizmente, também menos doenças graves. Porém, o que as pesquisas têm demonstrado é que transmitem o vírus tanto quanto os adultos, o que antes se achava que não acontecia”, afirma o chefe do Serviço de Infectologia do Hospital São Lucas.

Quem já teve coronavírus está livre da reinfecção?

Já testou positivo, tomou todos os cuidados e conseguiu se recuperar da doença? Não baixe a guarda. As reinfecções pela Covid-19 são incomuns, mas podem ocorrer. “Com as novas variantes do vírus, ainda não entendemos bem como isso está acontecendo. É possível que nosso sistema imune não reconheça as novas mudanças que o vírus está tendo e as pessoas possam ter infecção novamente. Essa é uma grande preocupação em todo o mundo neste momento”, alerta Ramos. Por isso, máscaras, álcool gel e medidas de proteção devem ser mantidas mesmo por quem já foi infectado ou até quem já recebeu a vacina contra o vírus.

Remédios caseiros podem curar o coronavírus?

Chá de boldo, alho cru, suco de limão com aspirina, gargarejo com água morna, sal e vinagre… Receitas caseiras difundidas como curativas sobretudo no WhatsApp não têm eficácia contra a Covid-19. “A gente sabe que muitos desses chás e receitas caseiras e familiares acabam tendo alguma ação para a melhora de alguns sintomas gripais, mas nada com ação comprovada contra o vírus, especialmente o coronavírus”, explica Ramos.

O uso de máscaras de proteção provoca doenças respiratórias?

Mesmo quem tem rinite, asma e outros problemas respiratórios não está liberado de usar um dos principais recursos para a proteção contra a Covid-19. Não há relação entre o uso de máscaras e o desenvolvimento de doenças respiratórias (leia mais neste post). “É mais difícil para as pessoas que não estão acostumadas a usar máscara por um longo tempo, mas ela tem sido relacionada ao possível desenvolvimento de doenças, e isso não é uma verdade. A utilização da máscara é segura, ela tem de ser trocada no momento certo, mas não tem nenhuma relação com doenças pulmonares”, afirma o infectologista.

A vacina contra o coronavírus pode alterar o corpo ou o DNA?

Você conhece alguém que está receoso em se imunizar contra a Covid-19? Os boatos de possíveis mutações ou graves efeitos colaterais são falsos para todas as vacinas aprovadas até o momento. De acordo com o chefe do Serviço de Infectologia do Hospital São Lucas, não há motivos para se preocupar: “Nenhuma das vacinas têm essa capacidade de mutação de DNA ou RNA. Todas as vacinas disponíveis até o momento para a população mundial têm sido testadas e demonstrado bastante segurança, incluindo as duas disponíveis no Brasil, CoronaVac e Oxford”.

Medição de temperatura na testa pode causar doenças?

Entre os efeitos colaterais apontados pela aferição da temperatura na testa estão cegueira e câncer. As informações  são falsas. Medir a temperatura é uma forma de prevenção adotada sobretudo na entrada de estabelecimentos para evitar o contágio dos frequentadores. “Não há nada demonstrando que termômetros de testa tenham malefício para as pessoas. Elas podem medir a temperatura tranquilamente”, afirma o médico.

Tirou alguma dúvida ou aprendeu alguma informação nova? Encaminhe o texto para amigos e familiares. E lembre-se de continuar se protegendo! Máscara, álcool gel e distanciamento social continuam eficazes na proteção contra o coronavírus!

2 Comentários

  1. Gisele

    Excelente! Questões frequentes do dia-a-dia respondidas de forma clara e simples. Parabéns ao Doutor!

    Responder
    • Equipe Panvel

      Olá, Gisele. Que bom que você gostou do nosso conteúdo. Compartilhe com amigos e familiares, é um assunto importante para que todos fiquem bem informados.

      Continue acompanhando nosso blog e tenha mais conteúdos sobre saúde, beleza e bem-estar.

      Até mais 🙂

      Responder

Trackbacks/Pingbacks

  1. Teste covid-19: quais são os principais tipos e como fazer? - Blog Bem Panvel - […] e pacientes consigam aplicar a conduta médica apropriada o quanto antes, seja ela internação, isolamento social ou outro procedimento…
  2. A importância da higiene bucal durante a pandemia de Covid-19 - Blog Bem Panvel - […] ano enfrentando a pandemia de Covid-19 nos deixou bem informados sobre o perigo do contágio e as consequências do…
  3. Cortisol: aprenda como controlar os níveis do "hormônio do estresse" - Blog Bem Panvel - […] de todos os riscos do vírus para a saúde, a pandemia de Covid-19 fez os relatos de ansiedade e…
  4. Dia da Imunização: data para reforçar a importância histórica da vacina no Brasil - Blog Bem Panvel - […] Em tempos de pandemia, a importância da imunização através das vacinas fica bem óbvia, mas ela já era um…

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest