Blog Bem Panvel

Rosácea: conheça os sintomas e o tratamento para a doença que provoca vermelhidão no rosto

Por 
 | 
22/11/2021
3 min. de leitura

Vermelhidão no rosto, especialmente nas bochechas, nariz, queixo e testa, e pequenas lesões inflamadas. O que à primeira vista costuma ser confundido com sintomas de acne pode se tratar, na verdade, de rosácea. A doença inflamatória da pele, que provoca a formação de pequenos vasos sanguíneos, atinge principalmente mulheres adultas, especialmente entre os 30 e os 50 anos, alterna períodos de remissão e exacerbação.

Tudo se inicia com uma pele sensível, e geralmente mais seca, que começa a ficar vermelha com facilidade e demonstrar irritação a ácidos e produtos dermatológicos. Aos poucos, a vermelhidão da rosácea tende a se tornar permanente, com a aparição de vasos finos e pequenas lesões. Com o passar do tempo, os episódios ficam mais corriqueiros - e até permanentes. Apesar de ser mais frequente em mulheres, a rosácea também pode acometer os homens, em quem o quadro tende a ser ainda mais grave.

De acordo com a dermatologista Raquel Lobato, para identificar a rosácea é preciso estar atento a sinais como:

  • Ardência na pele;
  • Ressecamento da pele;
  • Presença de pápulas e pústulas, lesões parecidas com espinhas;
  • Espessamento da pele, principalmente na região do nariz;
  • Vermelhidão e ressecamento dos olhos.

Já teve algum amigo ou familiar com estes sintomas? A rosácea acomete entre 1,5% e 10% das populações estudadas, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia. Ainda que sua causa seja desconhecida, alguns fatores podem agravar seu desenvolvimento, como tipo de pele, herança genética, mudanças hormonais, mudanças bruscas de temperatura e exposição ao sol - motivo pelo qual a aparição da rosácea tende a ser mais constante durante o verão.

"O diagnóstico é clínico e feito pelo médico dermatologista. Mas você pode suspeitar de rosácea se tiver os sintomas citados acima, que pioram com a ingestão de bebidas alcoólicas, condimentos, café, frio e calor intensos, saunas, exercícios físicos e exposição solar. Antigamente, a rosácea era chamada de acne rosácea. Hoje, sabemos que ela é um processo inflamatório diferente da acne", diz a dermato.

Tratamento

Apesar de não ter cura, essa doença da pele pode ser tratada e controlada.

Raquel explica que o tratamento da rosácea varia de acordo com a fase clínica vivida pelo paciente. É preciso evitar a exposição a fatores desencadeantes, como o sol, e manter uma rotina de cuidados adequados. Por isso, quem é diagnosticado com rosácea, via de regra, deve:

  • Usar sabonetes suaves;
  • Em alguns casos, optar pelo Syndet, detergente sintético com menos de 10% de sabonete e pH ajustado;
  • Hidratar a pele com ativos como o ácido Hialurônico;
  • Realizar tratamento com vitamina E, rubistem, physavie, niacinamida e MDI complex, que tem ação anti-inflamatória e reforçam a barreira cutânea, acalmando e aliviando os sintomas;
  • Melhorar a  textura da pele e minimizar a aparência dos vasos com ativos como o ácido azelaico, que promove renovação celular;
  • Usar água termal para sensação de alívio e conforto;
  • Fazer o uso diário de de protetor solar.

"Além destes cuidados diários, a Luz Intensa Pulsada é considerada o tratamento padrão ouro para rosácea. A LIP também pode ser associada aos lasers vasculares para otimização dos resultados", recomenda Raquel.

Se você ainda tem dúvidas sobre a rosácea ou qualquer tipo de manchas no rosto, consulte um dermatologista para realizar o diagnóstico e prescrever o melhor tratamento para tratar a sua pele com cuidado e segurança!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

menu

Pin It on Pinterest