Qual a diferença entre cosméticos veganos, naturais e cruelty free?

por | 8 jan, 2021

10 min. de leitura

Cosméticos veganos, naturais e cruelty free. É tanto nome e tanto selo, que a gente fica mesmo confusa ao comparar os rótulos diante de uma prateleira! Então, para facilitar a sua vida, resolvemos organizar um pouquinho as informações. Depois de ler esse artigo, é você que vai dar aula para as amigas sobre as diferenças de cada selo. 

Por que existem produtos veganos, naturais e cruelty free? 

Nos últimos anos, muitas pessoas têm buscado saber o que são todos aqueles nomezinhos complicados que aparecem na lista de composição dos produtos que passamos na nossa pele, rosto ou cabelos. 

Além de entender o que são e o que fazem os ingredientes dos cosméticos, quando se refere a esses produtos também estamos mais preocupados em saber como é o processo de fabricação. Ou seja, quem opta por usar um shampoo vegano, uma maquiagem cruelty free ou um desodorante natural está preocupado em saber como esses produtos foram feitos, qual a origem deles. Você sabe como seu creme ou maquiagem preferidos são produzidos? Você sabe de onde vêm os ingredientes ou como seu batom é testado

Os selos para cosméticos veganos, naturais ou cruelty free têm a ver com isso, continue lendo para entender melhor! 

O que é um produto vegano? 

Talvez você já tenha ouvido falar que alguma conhecida sua é vegana e, por isso, não come carne e nem comidas de origem animal, como queijo, ovo, iogurte e até mesmo mel.  

Pesquisa do Ibope divulgada pela Sociedade Brasileira de Vegetarianismo mostra que 14% da população brasileira se declara como vegetariana (conforme dados de abril de 2018). São cerca de 30 milhões de vegetarianos no país. E aproximadamente 7 milhões seriam veganos. 

Porém, o que exatamente é o veganismo? 

Apesar de parecer ser uma tendência atual, o termo veganismo foi criado há bastante tempo. A primeira vez que se usou o termo veganismo foi em 1944, na Inglaterra. O inglês Donald Watson escreveu um livro chamado “The Vegan Society” – “A Sociedade Vegana”, em português – e criou a primeira organização vegana do mundo junto com sua esposa, Dorothy e mais quatro amigos. 

Eles consideraram o veganismo como uma filosofia e estilo de vida, que inclui principalmente buscar não comer, não usar e não consumir produtos que vieram de animais. Isso significa: 

  • Não comer carne 
  • Não comer ovos 
  • Não beber leite de vaca e de cabra 
  • Não usar roupas, sapatos e acessórios de couro 
  • Não comer gelatina 
  • Não usar seda 
  • Não comer mel 
  • Não comer laticínios (manteiga, iogurte, etc) 

E, claro, não usar nenhum tipo de cosmético que contenha ingredientes de origem animal ou que foram testados em animais.  

Mas o que significa “origem animal”? 

Quando alguém fala em “origem animal”, quer dizer qualquer item ou alimento que seja feito a partir ou com a participação de animais.   

Desse modo, um produto vegano é um produto que não contém nenhum ingrediente de origem animal e nem é testado em animais, independentemente se esse produto é químico ou natural. 

Exemplos de componentes não veganos em cosméticos: 

Veja alguns exemplos de ingredientes que são utilizados pela indústria de cosméticos e que são de origem animal, ou seja, não são considerados veganos: 

Ácido esteárico: encontrado em sabonetes, loções em creme, desodorante e até creme de barbear. O de origem animal é normalmente derivado da gordura do estômago de porcos. 

Ácido Caprílicoutilizado em sabonetes e perfumes, tem o leite de vaca ou de cabra como matéria-prima. 

Ácido hialurônico: componente muito requisitado pelas bonitas de pele, bastante presente em produtos dermatológicos com ação antirrugas e anti-idade. Quando é de origem animal, é feito com proteína encontrada na placenta e cordões umbilicais de ovelhas. 

Carmim: uma espécie de pigmento de cor vermelha, usado em produtos de maquiagem, como batom, blush, pó facial e sombras. É obtido ao esmagar a fêmea de um inseto chamado cochonilha. Calcula-se que são necessários 70 mil insetos para produzir cerca de 450 g de corante. 

Cera de abelha: matéria-prima de ceras de depilação. 

Colágeno: encontrado em cosméticos e outros produtos antirrugas, antiestrias e anti-idade. Tem como origem a pele, tendões e cartilagem, normalmente de bovinos, suínos e aves. 

Geleia real: produto semelhante ao mel, muito usado em cremes e produtos para o cabelo. 

Lanolina: presente em loções, cremes hidratantes e shampoos hidratantes. É feita a partir de lã de carneiros. 

Uréia: bem comum em tinturas para cabelos, cremes para mãos, pasta de dente, shampoos, entre outros. A versão orgânica é feita com urina e outros fluidos corporais de animais. 

Todos esses são ingredientes de origem animal comuns em cosméticos. Embora eficientes nos tratamentos, sua utilização contraria a filosofia de quem prefere não usar produtos advindos de animais. A boa notícia é que já existem diversas substâncias sintéticas, com efeitos parecidos, mas que não envolvem extração de materiais de origem animal. 

Um exemplo de produto normalmente não-vegano, que se torna vegano quando criado de forma sintética é a queratina. Inclusive, na nossa linha Vert da Panvel, temos alguns produtos para o cabelo com fragrância queratina & macadâmia. O shampoo e o condicionador Vert Queratina & Macadâmia, por exemplo, unem o poder nutritivo da macadâmia com o brilho, volume e resistência proporcionados pela queratina – isso sem nenhum bichinho ser utilizado no processo. 

Ok, agora que você já sabe o que é um produto vegano, vamos falar um pouquinho sobre produtos naturais! 

O que é um produto natural? 

Explicar o que é um produto natural é bem simples. Basta pensar o que significa algo natural. 

Natural é tudo aquilo que está presente na natureza. 

Em outras palavras, um produto natural é feito com substâncias que podem ser encontradas na natureza, geralmente presentes em plantas ou animais. 

A grande vantagem dos produtos naturais é que o nosso organismo tende a aceitar melhor produtos naturais, diminuindo riscos de alergias, acne cosmética e contato com substâncias tóxicas que podem vir a causar câncer no longo prazo. 

Isso quer dizer que todo produto chamado de natural é retirado diretamente da natureza? 

Não. Com a evolução da tecnologia, já conseguimos recriar em laboratório algumas substâncias da natureza usando fórmulas químicas. Portanto, nem todo produto à base de matéria-prima natural é literalmente extraído da natureza. 

Como saber se um produto é natural? 

Se você quer comprar e usar apenas produtos com compostos naturais, o ideal é ficar atenta aos rótulos e dar preferência para aqueles que possuem selo indicando. Uma forma de ter certeza de que o cosmético é natural ou não, é buscar a presença de parabenos e parafinas na lista de ingredientes, que são feitos a partir do petróleo, portanto não são naturais.. 

Dito tudo isso, nem todo produto natural é vegano, pois pode ter matérias-primas vindas de animais, assim como nem todo produto vegano é natural, pois podem possuir itens sintéticos.  

Bom, já explicamos o que são os cosméticos veganos e os naturais. Porém, e os tais produtos cruelty free? 

O que são produtos cruelty free? 

Por fim, mas não menos importante, chegou a hora de falar sobre os produtos e cosméticos cruelty free. O termo “cruelty free” vem do inglês e significa “sem crueldade”. Você vai vê-lo em muitas embalagens de perfumes, shampoos, maquiagens e cosméticos em geral com selo. E você sabe por que, muitas vezes, o selo cruelty free traz a imagem de um coelho? Esses animais são símbolos, porque são muito utilizados para testes de produtos, por terem baixo custo, fácil manejo e serem sensíveis a testes que medem potencial alérgico ou tóxico de produtos. 

Dizer que um produto “contém crueldade” pode parecer um pouco estranho, mas esse é o termo utilizado pela indústria que se posiciona a favor dos direitos dos animais, como é o caso do veganismo e do vegetarianismo. 

Essa “crueldade”, a qual as organizações se referem, é o ato de colocar em risco a vida de animais ou mesmo causar sofrimento a ele. Por exemplo, é comum a realização de testes de cosméticos em animais, antes de serem vendidos para humanos, para saber se eles apresentam reações não desejadas. Porém, nesse processo, os animais de testes correm riscos. 

Para ser considerado cruelty free de verdade, os produtos precisam: 

  • Não ser testados em animais. 
  • Não terem em sua fórmula componentes vindos de fornecedores que testam em animais. 
  • Não serem vendidos em regiões que obrigam a realização de testes em animais por lei, 
  • Não terem em sua fórmula substâncias que foram enviadas para que outros órgãos a testem em animais. 

Geralmente produtos cruelty free possuem um selo na embalagem como uma forma de indicar ao público que aquele cosmético é seguro para quem não quer comprar produtos que usam animais como cobaias. 

Mas atenção: ser cruelty free não significa que um produto é vegano. Apesar de semelhantes, os termos se referem a coisas diferentes e, por isso, é necessário prestar bastante atenção aos rótulos dos produtos. 

Resumindo, a principal diferença entre produtos veganos, naturais e cruelty free está nos ingredientes que são utilizados e na forma como são feitos e testados. 

  • Todo produto vegano é cruelty free, mas nem todo produto cruelty free é vegano. 
  • Nem todo produto vegano é natural, assim como nem todo produto cruelty free é natural. 

Como posso saber se um produto é vegano, natural ou cruelty free? 

A resposta é bem simples: leia o rótulo, preste atenção nos componentes utilizados. Produtos que são veganos, naturais ou cruelty free sempre irão trazer em seu rótulo informações sobre isso. 

Outra forma de descobrir se um cosmético é vegano, natural ou cruelty free é comprar sempre de marcas em que você confia e já conhece a história. Podemos ser um pouco suspeitos para falar, mas recomendamos bastante os produtos da linha Vert, da Panvel. 😉 

Ah, mais um detalhe: outra coisa importante para prestar atenção na hora de comprar cosméticos de forma ecologicamente consciente é em relação às embalagens. Então, não custa lembrar: ter consciência ambiental também significa fazer o descarte correto das embalagens, garantindo que não será produzido mais lixo desnecessário no nosso planeta. 

Deu para entender bem? Caso você tenha ficado com alguma dúvida sobre esse assunto ou queira saber ainda mais sobre cosméticos veganos, cruelty free e naturais, é só deixar um comentário ou mandar uma mensagem através das redes sociais. 

4 Comentários

  1. Vivi

    Excelente explicação. Adorando o Blog!

    Responder
    • Equipe Panvel

      Que legal, Vivi! Ficamos felizes que você esteja gostando do nosso conteúdo 🙂

      Responder
  2. Sara

    E os cosméticos da linha panvel fora a linha vert, anteriormente continham o selo cruelty free que não é mais encontrado nas embalagens dos produtos Panvel o que me fez ter receio de seguir adquirindo, vocês estão testando ou obtendo matéria prima que realiza testes em animais?

    Responder
    • Equipe Panvel

      Olá, Sara.

      Nenhum produto da marca própria Panvel é testado em animais. Essa não é a nossa política e somos contra esse tipo de atividade 🙂

      Responder

Trackbacks/Pingbacks

  1. Nova linha Vert: uma nova beleza - vegana, natural e sustentável - Blog Bem Panvel - […] Na gastronomia, é considerado vegano todo prato que não contém nenhum item de origem animal. Essa lógica vale também…
  2. Cinco ativos que a pele do seu rosto precisa conhecer - Blog Bem Panvel - […] tem observado o que a pele do seu rosto precisa? Os avanços na indústria dos cosméticos tornaram mais fácil…

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest