Olheiras: conheça os tipos, os tratamentos e os ativos para combatê-las

por | 13 set, 2021

5 min. de leitura

A noite de sono foi ótima – mas as marcas escuras ao redor dos olhos parecem falar o contrário. Acordar com olheiras é uma sensação que será experimentada pela maioria das pessoas em algum momento da vida. Quando elas se tornam uma característica persistente, porém, podem causar desconforto – e é possível realizar tratamentos que amenizam sua coloração, deixando a região dos olhos mais uniforme com o restante do rosto.

“Quem tem olheiras também está exposto a pioras que são transitórias: se a pessoa está com alguma inflamação nas vias aéreas, rinite, sinusite, dormiu mal, ingeriu álcool, ou comida muito salgada, agravam a situação”, afirma a dermatologista Ana Paula Caramori. Ela explica que há três tipos mais comuns:

  • Olheiras pigmentares: vem pelo acúmulo de melanina e pigmentação na pálpebra. São mais comuns em pessoas que têm manchas na pele como o melasma ou rinite e asma, pois costumam ter a pele desta região mais escura e por ter coceira nesta área, o ato de esfregar vai piorando a situação, pois gera um processo de microinflamação que vai escurecendo ainda mais o pigmento.
  • Olheiras vasculares: que às vezes vem pela dilatação dos vasos da pele da região.
  • Olheiras estruturais: que causam profundidade na região, que pode ser genético, apresentando desde jovem, ou vai se formando com o processo de envelhecimento.

A dermato explica que as olheiras não necessariamente se enquadram nesses grupos de maneira estática: “Há pessoas que têm formas misturadas, com componentes vascular e pigmentar, ou que tem o componente pigmentar com a questão da profundidade.”.

Tratamentos

Ana Paula explica que, antes de dar início ao tratamento, é preciso avaliar o que está acontecendo naquela pálpebra, o que está contribuindo para a formação da olheira. Depois do diagnóstico, podem-se adotar soluções como:

  • Olheiras com característica pigmentar: tratamentos associados ao peeling e aos clareadores domiciliares, sempre com muito cuidado para não irritar a pele. Alternativas como o laser com e os fios de PDO também podem apresentar boa resposta, ajudando a clarear a pigmentação da região e tratar a flacidez associada às olheiras.
  • Para as olheiras com origem vascular formadas por vasos, pode-se associar diferentes tipos de laser e a luz pulsada, diminuindo a espessura desses vasos.
  • Nas olheiras profundas, é necessário estruturar a região com ácido hialurônico para realizar o preenchimento. Por último, é realizada uma  complementação na olheira, como se fosse um refinamento do tratamento.

“Em casos de olheiras profundas, dificilmente a gente vai diretamente à olheira, primeiro é preciso olhar para a reestruturação da face, aquele ossinho da bochecha que a gente chama malar, para conseguir melhorar o assoalho desta olheira”, explica a dermato Ana Paula.

Assim como as olheiras podem ser causadas por mais de um fator, é comum que os tratamentos precisam ser associados para apresentar melhores resultados. “Dependendo do caso, pode ser necessário associar laser e peeling, laser e fios de PDO, laser e preenchimento com ácido hialurônico, sempre avaliando a necessidade do paciente”, diz Ana Paula.

Cuidados para amenizar as olheiras

Alguns cuidados no dia a dia são importantes para melhorar o aspecto das olheiras, especialmente as do tipo pigmentar. Uma dica importante diz respeito à retirada da maquiagem. “Usar o removedor de maquiagem esfregando a pálpebra pode ajudar a escurecer as olheiras. Esfregar a região causa irritação, causando escurecimento ainda maior”, afirma Ana Paula. Por isso, a dermato recomenda usar os produtos sempre de maneira delicada, sem esfregar a pele.

Ela também indica o uso de corretivo durante o dia. Para quem já tem a olheira pigmentada, o produto vai fazer uma barreira de proteção à luz visível, que também mancha a pele, além de hidratar a região. “Quanto mais ressecado e desidratado o local estiver, mais fácil será para as olheiras aparecerem”. O uso de filtro solar também é importante para a proteção da região.

Cremes

Se a ideia for iniciar o tratamento em casa, há vários ativos que podem ser incorporados à rotina de skincare. De acordo com a dermato Ana Paula, é importante cuidar, hidratar e tratar a região com delicadeza diariamente, pois é uma pele extremamente fina, o que a faz envelhecer mais rápido. Veja os ativos recomendados pela dermato para a região dos olhos:

  • Ácido hialurônico para hidratação;
  • Retinol, como estimulador de colágeno para melhorar a espessura da pele da região;
  • Niacinamida, para ação anti-inflamatória;
  • Clareadores;
  • Alfa arbutin;
  • Cafeína:  para quem tem olheiras muito inchadas.

Além disso, as makes com agentes com difusor ótico em sua composição são grandes aliadas para corrigir as olheiras, pois fazem com que a luz reflita nessa região e não apareça tanto na região dos olhos.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest